Dia de enchente, e agora?



Em épocas de chuvas de verão é importante se atentar ao horário e ao percurso que irá fazer, afinal, isso ajuda o motorista a evitar alagamentos. A melhor dica é sempre não sair com o carro, mas, quando isso não é possível, quem está ao volante deve seguir algumas dicas preciosas para evitar problemas. Quem dá os conselhos é Centro de Experimentação e Segurança Viária, CESVI.

1. Se o motor do carro morrer durante a travessia jamais tente dar a partida! Mantenha-o desligado e remova o veículo até uma oficina. Diante da possibilidade de admissão de água, essa prática reduz o risco de danos causados ao motor por um calço hidráulico.

2. Observe a altura do nível de água do trecho alagado. A maioria das montadoras estabelece uma altura máxima para essas travessias e essa distância não pode exceder o centro da roda.

3. Dirija o veículo em baixa velocidade, mantendo uma rotação maior e constante ao motor, em torno de 2.500 RPM. Isso diminui a variação do nível da água e seu respingar junto ao motor, dificultando sua admissão indevida e a contaminação de componentes eletroeletrônicos, melhorando a aderência e a dirigibilidade do veículo.

4. Veículos equipados com transmissão automática devem ser colocados na posição 1, de trocas manuais. Assim, o automóvel não desenvolverá tanta velocidade, sendo possível imprimir uma rotação maior ao motor. Outra possibilidade é alternar, manualmente, a troca de marchas entre “N” e “1”, de modo a manter a velocidade do veículo baixa durante o trecho alagado, sem descuidar da rotação do motor, sempre em torno de 2.500 RPM.

5. Se o veículo for automático e tiver as opções “WINTER” ou “SNOW” para ajuste de tração, utilize esses recursos. Embora a função desses dispositivos seja a de conferir maior segurança durante trechos de baixa aderência, como neve ou lama, evitando que o veículo patine graças ao bloqueio do diferencial, esses recursos também devem ser utilizados durante alagamentos, pois beneficia o controle da velocidade do veículo e da rotação do motor.

6. Mantenha a calma caso sejam constatados sintomas como: aumento de esforço ao esterçar (direção hidráulica), variação na luminosidade das luzes do painel de instrumentos, alertas sonoros, flutuação dos ponteiros, luzes de anomalia da injeção eletrônica, bateria e ABS (se disponível) acesas, aumento do esforço ao acionar os freios e interrupção do funcionamento da tração 4 x 4 (veículos diesel). Todos esses sintomas, provavelmente, são causados pela perda de aderência entre a correia auxiliar e as respectivas polias da bomba da direção hidráulica, alternador e bomba de vácuo (veículo diesel), sendo, na maioria das vezes, um fato passageiro que não impede a dirigibilidade. Apenas reforce a cautela e mantenha o menor número possível de equipamentos ligados.

7. Desligue o ar condicionado! Essa prática impede que alguns componentes joguem água na tomada de ar do motor, reduzindo o risco de calço hidráulico. Veículos rebaixados e turbinados, na maioria das vezes, apresentam maiores riscos de sofrer calço hidráulico; por isso, é aconselhável manter a originalidade da montadora. Se o veículo estiver nessas condições, redobre a atenção aos procedimentos sugeridos.

8. Faça um check-up preventivo caso tenha feito a travessia de um grande alagamento. Assim você corrige possíveis alterações do sistema de injeção eletrônica que, muitas vezes simples e imperceptíveis nessa fase, como maus contatos, podem gerar grandes transtornos posteriormente.

9. Após passar por um alagamento, dirija-se diretamente para uma oficina! Pode haver, entre outros, a contaminação do cânister, do óleo da transmissão, do(s) eixo(s) diferencial(is), no caso de veículos com tração traseira ou mesmo quatro por quatro, o que determina a redução da vida útil dos componentes integrantes desses conjuntos, além de riscos acentuados de falhas na embreagem, suspensão e freios. Por isso, ir até uma oficina solicitar a avaliação desses itens é a melhor alternativa.

10. Faça uma limpeza no sistema de ventilação! Após travessias consecutivas de alagamentos, você estará sujeito à contaminação por fungos, micro-organismos e bactérias. Por essa razão é recomendável realizar uma limpeza de todo o sistema para uma utilização segura.


Postado em: 02/02/2017 08:06

Dicas Relacionadas


Ver todas as dicas
Endereço
Rua Capitão Pedro Werlang, 58, 91530-110
Porto Alegre, Intercap
Telefones
(51) 3023-3623
(51) 9849-45723
E-mails
contato@areciaoficina.com.br
atendimento@areciaoficina.com.br
Redes-Sociais
Desenvolvido por
Rodrigo Zanotta

Ar & Cia, todos os direitos reservados © 2018